Sobre o Projeto

Sobre o Projeto

O Projeto

Para enfrentar o desafio da luta pelo território, por justiça socioambiental e a promoção de uma Internet livre, o projeto Territórios Livres, Tecnologias Livres propõe-se a produzir um mapeamento coletivo do acesso, usos e concepções sobre a Internet e as Tecnologias da Informação e Comunicação por comunidades quilombolas e rurais do nordeste brasileiro.

 

O mapeamento se baseia num processo de formação e troca entre as agendas de luta em defesa dos territórios e por uma Internet livre. É, assim, a primeira etapa de um processo de articulação e formação que aponta para a construção de contra narrativas e disputa epistemológica sobre Internet e TICS – a partir de uma visão feminista, antirracista e comprometida com a justiça socioambiental.

 

Aponta também para a produção de insumos para a incidência junto aos centros de poder por políticas públicas de acesso e usos da Internet e TICs, além do fortalecimento e construção de apropriações autônomas destas tecnologias em diálogo com tecnologias ancestrais e modos de vida tradicionais.

 

Neste âmbito, as mulheres, a quem cabe historicamente a função de produção e reprodução da vida e, também por isso, têm protagonismo sobre as resistências e a construção de alternativas autônomas ao modelo de desenvolvimento posto, terão papel central na sistematização do conhecimento neste projeto.

 

Territórios Livres, Tecnologias Livres é uma iniciativa coletiva da Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social, da Coordenação Nacional de Comunidades Negras Rurais Quilombolas (CONAQ) e do Movimento de Mulheres Trabalhadoras Rurais do Nordeste (MMTR/NE), com financiamento da Associação para o Progresso das Comunicações (APC).

O Projeto

Para enfrentar o desafio da luta pelo território, por justiça socioambiental e a promoção de uma Internet livre, o projeto Territórios Livres, Tecnologias Livres propõe-se a produzir um mapeamento coletivo do acesso, usos e concepções sobre a Internet e as Tecnologias da Informação e Comunicação por comunidades quilombolas e rurais do nordeste brasileiro.

 

O mapeamento se baseia num processo de formação e troca entre as agendas de luta em defesa dos territórios e por uma Internet livre. É, assim, a primeira etapa de um processo de articulação e formação que aponta para a construção de contra narrativas e disputa epistemológica sobre Internet e TICS – a partir de uma visão feminista, antirracista e comprometida com a justiça socioambiental.
Aponta também para a produção de insumos para a incidência junto aos centros de poder por políticas públicas de acesso e usos da Internet e TICs, além do fortalecimento e construção de apropriações autônomas destas tecnologias em diálogo com tecnologias ancestrais e modos de vida tradicionais.
Neste âmbito, as mulheres, a quem cabe historicamente a função de produção e reprodução da vida e, também por isso, têm protagonismo sobre as resistências e a construção de alternativas autônomas ao modelo de desenvolvimento posto, terão papel central na sistematização do conhecimento neste projeto.
Territórios Livres, Tecnologias Livres é uma iniciativa coletiva da Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social, da Coordenação Nacional de Comunidades Negras Rurais Quilombolas (CONAQ) e do Movimento de Mulheres Trabalhadoras Rurais do Nordeste (MMTR/NE), com financiamento da Associação para o Progresso das Comunicações (APC).

Territórios
participantes

MAPA-BRASIL-NORDESTE
O projeto Territórios Livres, Tecnologias Livres abrange os seguintes 33 territórios quilombolas e rurais nos nove estados do Nordeste do Brasil.
 
Comunidades rurais
1 – Assentamento Penha II, Alagoa Grande (PB)
2 – Sítio Cabral, Mogeiro (PB)
3 – Gravatá, Massaranduba (PB)
4 – Lagoa do Cumbe, Massaranduba (PB)
5 – Aldeia  Indígena Tabajara Barra de Gramame, Conde (PB)
6 – Gameleira, Massaranduba (PB)
7 – Assentamento Vitória da União, Santa Luzia do Itanhy (SE)
8 – Serrão, Ilha das Flores (SE)
9 – São Bento, Salgado (SE)
10 – Várzea da Pedra, Santa Luz (BA)
11 – Lagoa do Canto, Teofilândia (BA)
12 – Bela Vista, Igreja Nova (AL)
13 – Vista Alegre, Igreja Nova (AL)
14 – Ilha das Antas, Igreja Nova (AL)
15 – Sapé, Igreja Nova (AL)
16 – Chinaré,  Igreja Nova (AL)

 

Territórios quilombolas
1 – Quilombo Maruim, Icatu (MA)
2 – Quilombo Santa Rosa dos Pretos, Itapecuru-Mirim (MA)
3 – Quilombo Tanque de Valença, Matinha (MA)
4 – Território Rampa, Vargem Grande (MA)
5 – Quilombo Macambira, Lagoa Nova (RN)
6 – Quilombo Gameleira, São Tomé (RN)
7 – Quilombo Jatobá, Patú (RN)
8 – Quilombo Nazaré, Itapipoca (CE)
9 – Quilombo Bom Sucesso, Novo Oriente (CE)
10 – Quilombo Consciência Negra, Tauá (CE)
11 – Quilombo Timbó, Garanhuns (PE)
12 – Quilombo Leitão da Carapuça, Afogados da Ingazeira (PE)
13 – Quilombo Siqueira, Rio Formoso (PE)
14 – Quilombo Macacos, São Miguel do Tapuio (PI)
15 – Quilombo São Martins, Paulistana (PI)
16 – Quilombo Sumidouro, Queimada Nova (PI)
17 – Quilombo Caiana dos Crioulos, Alagoa Grande (PB)

Saiba mais sobre o projeto

Territórios
participantes

MAPA-BRASIL-NORDESTE
O projeto Territórios Livres, Tecnologias Livres abrange os seguintes 33 territórios quilombolas e rurais nos nove estados do Nordeste do Brasil.
 
Comunidades rurais
1 – Assentamento Penha II, Alagoa Grande (PB)
2 – Sítio Cabral, Mogeiro (PB)
3 – Gravatá, Massaranduba (PB)
4 – Lagoa do Cumbe, Massaranduba (PB)
5 – Aldeia  Indígena Tabajara Barra de Gramame, Conde (PB)
6 – Gameleira, Massaranduba (PB)
7 – Assentamento Vitória da União, Santa Luzia do Itanhy (SE)
8 – Serrão, Ilha das Flores (SE)
9 – São Bento, Salgado (SE)
10 – Várzea da Pedra, Santa Luz (BA)
11 – Lagoa do Canto, Teofilândia (BA)
12 – Bela Vista, Igreja Nova (AL)
13 – Vista Alegre, Igreja Nova (AL)
14 – Ilha das Antas, Igreja Nova (AL)
15 – Sapé, Igreja Nova (AL)
16 – Chinaré,  Igreja Nova (AL)

 

Territórios quilombolas
1 – Quilombo Maruim, Icatu (MA)
2 – Quilombo Santa Rosa dos Pretos, Itapecuru-Mirim (MA)
3 – Quilombo Tanque de Valença, Matinha (MA)
4 – Território Rampa, Vargem Grande (MA)
5 – Quilombo Macambira, Lagoa Nova (RN)
6 – Quilombo Gameleira, São Tomé (RN)
7 – Quilombo Jatobá, Patú (RN)
8 – Quilombo Nazaré, Itapipoca (CE)
9 – Quilombo Bom Sucesso, Novo Oriente (CE)
10 – Quilombo Consciência Negra, Tauá (CE)
11 – Quilombo Timbó, Garanhuns (PE)
12 – Quilombo Leitão da Carapuça, Afogados da Ingazeira (PE)
13 – Quilombo Siqueira, Rio Formoso (PE)
14 – Quilombo Macacos, São Miguel do Tapuio (PI)
15 – Quilombo São Martins, Paulistana (PI)
16 – Quilombo Sumidouro, Queimada Nova (PI)
17 – Quilombo Caiana dos Crioulos, Alagoa Grande (PB)

Saiba mais sobre o projeto

Uma das ações do projeto Territórios Livres, Tecnologias Livres foi o Ciclo de Formação que reuniu moradoras/es dos territórios tradicionais, pesquisadoras vinculadas a essas comunidades e especialistas sobre temas como tecnologias ancestrais, redes comunitárias de internet e políticas de acesso à internet e TICs no Brasil.

 

Confira abaixo um vídeo-resumo e as sistematizações gráficas das atividade

Coordenação do projeto

MARYELLEN-CRISOSTOMO-UBUNTU-768x1024

Maryellen Crisóstomo

Quilombola do Tocantins, jornalista, mestranda em Letras pela Universidade Federal do Tocantins (UFT). Assessora no Coletivo de Comunicação da Coordenação Estadual das Comunidades Quilombolas do Tocantins (COEQTO) e da Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (CONAQ).

Naiara Santana

Naiara Santana de Jesus

Moradora do Assentamento Vítória da União/ SE. Coordenadora Executiva do Movimento da Mulher Trabalhadora Rural do Nordeste- MMTR-NE e membra do Comitê de Defesa dos Usuários de Serviços de Telecomunicações- CDUST.

Aline CArneiro

Aline Carneiro

Moradora da P.A Gurugi II, município do Conde/PB. Graduada em Agroecologia e Técnica Agrícola.  Coordenadora Administrativa e Financeira do Movimento da Mulher Trabalhadora Rural do Nordeste (MMTR-NE).

Ta¦émara Terso

Tâmara Terso

Soteropolitana, da comunidade do Alto da Sereia/BA, jornalista e pesquisadora amefricana. Mestra em Comunicação e Cultura Contemporâneas e colaboradora do Centro de Comunicação, Democracia e Cidadania da Universidade Federal da Bahia. Associada do Intervozes.

Paulo Victor

Paulo Victor Melo

É jornalista, professor universitário, doutor em Comunicação e Cultura Contemporâneas, mestre em Comunicação e Sociedade, pesquisador do Observatório de Economia e Comunicação da Universidade Federal de Sergipe (UFS), colaborador do Centro de Comunicação, Democracia e Cidadania da Universidade Federal da Bahia. Associado do Intervozes.

Coordenação ampliada

Iara Moura

Iara Moura

É cearense, descendente de indígenas potiguaras, jornalista, mestra em comunicação pela Universidade Federal Fluminense e coordenadora executiva do Intervozes.

Gyssele Mendes_perfil

Gyssele Mendes

Jornalista, formada em Estudos de Mídia e com mestrado em Comunicação, ambos pela Universidade Federal Fluminense. Atualmente, integra a Coordenação Executiva do Intervozes, onde milita há cinco anos.

Oli¦üvia Bandeira

Olívia Bandeira

Jornalista, mestra em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense, doutora em Antropologia Cultural pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e coordenadora das áreas de formação e pesquisa do Intervozes.

Apoio

Clara Andreozzi
Alexandra Martins (EspaçoNave criativa)
Jacqueline Aldabalde
Oficina Sal

Campanha